top of page
  • Ághata Ramos, Agência Yaih

ENTREVISTA COM JEFFERSON DIECKMANN

A Yaih gosta de contar histórias, mostrar gente, olhar o mundo de um jeito diferente. Hoje a

entrevista será com um lourenciano que está na Turquia, Jefferson Dieckmann.

Escritor, poeta e ativista cultural. Já escreveu cinco livros próprios e adora viajar, Jefferson estava visitando a Turquia no dia fatídico do terremoto que marcou a história do país.

É hora de saber mais sobre sua história e a estadia no país que está protagonizando o noticiário.






QUEM É JEFFERSON DIECKMANN?


Jeferson Dieckman é técnico em Eletrônica e Bacharel em Direito. Apaixonado pela leitura e

por escrever, é presidente da AIL - Academia Internacional de Artes e Letras Sul-Lourenciana e faz parte da CEL- - Centro de Escritores Lourencianos.

“Desde os tempos de estudante em São Lourenço, eu gostava de escrever nas aulas de Português. Certo dia, com 14 anos de idade, a minha então professora Iolane Montezuma me disse: ‘Nunca para de escrever, guri. Os teus textos são bons! ’ Muitos anos depois, lembrei dessa frase e voltei a produzir textos. ”

O principal estilo de Jefferson é a poesia e costuma escrever sobre o cotidiano e coisas que vivencia no dia-a-dia. Seu primeiro livro foi “Poesia em tempo de guerra” publicado em 2007, depois disso, lançou outras obras, inclusive em parceria com os estudantes da rede municipal de São Lourenço Do Sul. Tem também participado de programas de visitas a escolas do município, conversando com estudantes, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação. Também foi Patrono da Feira do Livro Municipal em 2019.



VIAGEM A TURQUIA


Em relação a sua viagem a Turquia, Jefferson conta que após visitar seus filhos em Portugal

Jefferson e sua família

se dirigiu com sua namorada, Márcia, para visitar os filhos dela que trabalham e vivem no país.


“A cultura local é muito diferente da nossa. Como a maior parte da população é muçulmana, existem restrições para algumas coisas como o consumo de bebidas alcoólicas. Existem alguns bairros e estabelecimentos específicos onde as bebidas podem ser consumidas. Nas ruas, vemos muitas mulheres usando a burca, veste que cobre inteiramente o corpo. ”





bandeira da Turquia

Na segunda feira, (06) de fevereiro de 2023, o mundo recebeu a triste notícia de um terremoto que ocorreu na Turquia em sua fronteira com outro país, a Síria.

Um dos terremotos mais fortes a atingir a região em um século tirou os moradores de seu

sono as 4 horas da manhã no horário local.

O terremoto ocorreu 23 quilômetros a leste de Nurdagi, na província turca de Gaziantep, a uma profundidade de 24,1 quilômetros, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS). Uma série de tremores secundários reverberou pela região nas horas imediatas após o incidente inicial.

Infelizmente, de acordo coma agência de desastres do país, a tragédia deixou até agora mais de 17 mil pessoas mortas e milhares feridas devido à queda de escombros. Vale ressaltar também que mais de 5.700 edifícios desabaram.


Jefferson se encontrava na região de Ismit, perto da capital Istambul, quando o terremoto

Turquia localização

ocorreu. Apesar de estar a um local distante dos eventos, todos ficaram em alerta caso fosse necessária alguma evacuação e também fala sobre a solidariedade da população.



“Na madrugada da última segunda-feira, enquanto ainda dormíamos, aconteceu esse último grande terremoto. Foi realmente muito sério e vitimou milhares de pessoas. Temos presenciado a mobilização de grande parte da população turca, recolhendo roupas, cobertas e alimentos para serem enviados para a região do terremoto. ”

“Estivemos em um desses Centros de Apoio, onde levamos roupas. Pudemos presenciar a movimentação de centenas de pessoas recolhendo e encaixotando doações. Mesmo

ÇAY (bebida típica da Turquia)

durante essa movimentação frenética, eles ainda tiveram tempo e disposição para nos oferecer copos de “çay”, o chá turco. Durante essas viagens, principalmente para outros países com povos e costumes diferentes dos nossos, eu costumo colher material e inspiração para outras obras literárias. ”


Jeferson relata sobre a sua surpresa aos eventos e como lidou com a notícia



Centro de doações

“Normalmente, nós costumamos ver essas notícias de tragédias apenas na televisão. Dessa vez, nós assistimos muito de perto. E por causa disso, seguindo orientações, nos mantivemos em alerta na noite seguinte, com agasalhos, calçados e passaportes próximo à porta, caso precisássemos sair às pressas. ”


Na parte burocrática da viagem não houveram alterações, mas ele e sua namorada suspenderam alguns passeios que fariam para outras regiões da Turquia. Planejavam ir para a Capadócia, devido aos últimos acontecimentos, cancelaram a visita.


“Soubemos que toda a Turquia é sujeita a terremotos pelo fato de o país estar localizado

Jefferson e namorada

em uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, com várias falhas geológicas. Existe um ditado popular muito comum na língua turca que diz que "geografia é destino", em referência aos eventos naturais praticamente inevitáveis. Podem ocorrer terremotos em qualquer lugar do país, infelizmente.



APESAR DOS CONTRATEMPOS, UMA EXPERIÊNCIA INCRÍVEL


Ao ser questionado sobre a maior diferença cultural entre o Brasil e Turquia, a resposta é a seguinte:

“Na Turquia, devido ao fato da maior parte da população ser fiel ao Islamismo, existem

Jefferson e sua família

alguns hábitos, comuns a nós brasileiros, que aqui são proibidos. Um exemplo é o consumo de bebidas alcoólicas em público. Existem algumas lojas específicas autorizadas a vender bebidas e somente em alguns restaurantes e bairros, o seu consumo é permitido em almoços e jantares. Para entrar nas mesquitas para orar, todos devem tirar os sapatos e as mulheres necessariamente devem usar o “hijab”, o véu islâmico, cobrindo os cabelos. Esses são exemplos de comportamentos diferentes, mas que conseguimos seguir e respeitar aqui. ”




Há fatos curiosos sobre o país que que chamam a atenção dos turistas também



Istambul

"Istambul é uma cidade dividida entre dois continentes. Metade da cidade está situada na

Europa e metada na Ásia. As duas partes são separadas pelo Estreito de Bósforo, que se atravessa em cerca de meia hora em confortáveis barcos."



"Um fato que vale a pena citar é a imensa quantidade de gatos nas ruas de Istambul. Eles se deitam ao sol, nas cadeiras dos restaurantes, dentro das vitrines das lojas. São milhares e não pertencem a ninguém especificamente. São 'gatos comunitários' que todos cuidam e alimentam. Perguntamos a um comerciante o motivo e ele contou que houve em outra época um sultão que adorava os gatos e não permitia que os maltratasse. Desde essa época, cuidar dos gatos virou tradição entre o povo."


"Também existem vários cães comunitários tratados e cuidados por todos nas ruas. Todos os cães são cadastrados e usam uma anilha numerada em uma das orelhas. "





A Yaih também perguntou a Jefferson sua opinião sobre a experiência de visitar a Turquia e sua avaliação geral sobre a estadia, o povo, a cultura.


"Gostei muito! A chance de conhecer um país diferente, com cultura, hábitos e culinária

Jefferson e sua família

diferentes das nossas, não tem preço! A Turquia tem uma história linda, com construções erguidas a milênios. Nós só crescemos como seres humanos ao conhecermos um pouco mais desse nosso mundo!"




bottom of page