top of page
  • Ághata Ramos, Agência Yaih

ENTREVISTA COM JORGE SOARES - MOVIMENTO NEGRO DE SÃO LOURENÇO DO SUL

A Yaih teve a honra de conversar com Jorge Soares, integrante do Movimento Negro de São Lourenço do Sul para conversar sobre ativismo, temáticas raciais e conscientização. Foi uma conversa com muita transmissão de conteúdo e conhecimento.


O Movimento Negro tem dedicado esforços significativos para o crescimento e o fortalecimento da cultura negra em São Lourenço do Sul ao longo dos anos. No entanto, Jorge destaca as limitações impostas ao movimento, especialmente no que diz respeito ao espaço nas escolas e em alguns locais. Ele menciona que, quando solicitados, membros do movimento oferecem palestras para compartilhar conhecimento e realizar atividades, o mesmo destaca seu compromisso em defender a cadeira do movimento negro na área da saúde.


Ressaltou também que esse trabalho é contínuo, que a cada ano apresenta crescimento, não se restringindo apenas ao mês de novembro.


“Esse ano, depois de 35 anos, conseguimos fundar a Associação do Movimento Kilombola em São Lourenço do Sul[..]”


“Quando eu vou dar minhas palestras, eu trabalho sempre em cima do respeito, sempre valorizando a pessoa negra [..]”


Valorizando sua cultura e raízes em suas ações e modo de vestir, ele aborda situações injustas e de conflito buscando resolver a situação por meio do diálogo.


“Ao exigirmos respeito, nós não estamos pedindo esmola ou nos vitimizando, estamos exigindo algo que é nosso por direito”


Na pauta da educação, o mesmo acredita que as escolas devem aprofundar o ensino da história tanto negra quanto branca, promovendo um resgate cultural e de conhecimento. O movimento negro continua a lutar contra casos de racismo e intolerância em São Lourenço do Sul, buscando fortalecer essa batalha.


“[..] A sociedade não está preparada para realizar um trabalho para o índio, para o negro, para a pessoa com deficiência enquanto não houver preparação dentro das escolas e dos ambientes familiares. É necessário que existam pessoas como nós, que realizam esse trabalho de conscientização[..]”


Refletindo sobre sua própria jornada de mais de 30 anos no movimento negro, é destacado na conversa a importância de pessoas negras ocuparem espaços de poder e visibilidade, almejando e conquistando realizações. Ele reconhece uma mudança significativa em sua perspectiva ao se envolver mais com a cultura negra e o movimento, passando de uma postura passiva para uma ativa e comprometida com ações sociais e atividades .


Além disso, o entrevistado expõe o equívoco comum de interpretar erroneamente as reações dos oprimidos diante de abusos, ressaltando que muitas vezes as pessoas reagem para se defenderem de situações de desrespeito e são taxadas de agressivas de forma equivocada.


Sobre suas atividades, além de palestras, Jorge mencionou um projeto de capoeira e dança afro no qual faz parte nas escolas e, em data próxima, os participantes do Movimento Negro irão realizar um jantar especial dia 02/12. Além disso, o Movimento Negro de São Lourenço do Sul está aberto para quem quiser apoiar e se juntar a causa.





Algumas fotos do acervo de Jorge Soares:

Conhecendo os pontos históricos de Salvador

Imagem do Preto Velho ( Salvador)

Sobra do engenho onde ficavam as pessoas negras escravizadas

Jorge em uma de suas palestras em sala de aula





Comentarios


bottom of page