top of page
  • Raquel Nogueira

APRENDA COMO SAIR DAS DÍVIDAS EM 7 PASSOS


Texto de Raquel Nogueira


Dívidas nunca mais: 7 passos que vão te ensinar a evitar as pendências


Se você está com o nome sujo ou os boletos acumulando, você faz parte de uma estatística que comporta mais de 63 milhões de pessoas no país. A informação é da pesquisa anual da Serasa Experian, que aponta também que 28% das dívidas não pagas são contraídas com bancos e cartões de crédito. As outras principais causas de endividamento do brasileiro são:

  • Serviços essenciais como água, luz e gás, chamados de utilities (20,6%)

  • Varejo (12,3%)

  • Serviços (11,1%)

  • Empresas de telecomunicação (10,7%)

  • Financeiras (9,9%).


Quem atrasa os pagamentos e fica com o nome negativado pode ter problemas para realizar financiamentos ou conseguir um empréstimo. Mas não se desespere. Com disciplina e planejamento, é possível se organizar para colocar suas contas em dia e dar adeus às dívidas.


Nesse artigo, você vai aprender a fazer isso em 7 passos.


Como cheguei a este ponto?


Existem muitos fatores que podem levar ao endividamento. Às vezes, imprevistos acontecem e é preciso desembolsar mais do que podemos. Mas, outras vezes, a dificuldade de controlar o orçamento faz com que as pessoas solicitem empréstimos ou usem o cheque especial — e isso as prende às altas taxas de juros praticadas.


O hábito de usar o cartão de crédito para parcelar em muitas vezes itens de consumo cotidianos, ou então de acumular compras feitas em cartões diferentes também pode ser um vilão do orçamento familiar.



Aprenda agora a se livrar das dívidas


Uma dívida de R$ 500 reais pode em poucos anos vir a custar R$ 3 mil, dependendo dos juros. O orçamento mensal dificilmente vai ter uma sobra grande o bastante para arcar com esse valor, e o sonho das contas em dia parece cada vez mais distante.


Para sair dessa situação, não existe fórmula mágica. Mas, se você se comprometer com seu objetivo e seguir estes passos, vai conseguir se livrar das dívidas, limpar seu nome e ter uma vida mais leve.


Saiba exatamente o que você deve


O autoconhecimento é fundamental para que você encontre uma forma de se livrar das dívidas. De forma detalhada, levante quanto você está devendo e para quem. Calcule o quanto da sua renda mensal essas contas estão consumindo e quanto você pode separar, por mês, para destinar ao pagamento.

Faça um ranqueamento e crie uma estratégia


Depois que você tiver detalhado o que deve, é preciso decidir por onde começar. Afinal, de qual dívida é melhor se livrar primeiro?


O ideal é começar pela maior, que compromete mais seu fluxo de caixa. Muitas vezes, são as dívidas relacionadas a empréstimos ou cheque especial — cujos juros podem chegar a 150% ao ano. Acabar com ela vai te dar mais espaço para respirar e poder eliminar as outras.

Negocie nos seus termos


Se o banco te liga diariamente para cobrar o que você está devendo, é compreensível que bata o desespero e a vontade de pagar logo tudo de uma vez. Mas tenha calma: muitas vezes, quitar uma dívida à vista iria gerar um rombo ainda maior nas suas finanças e te colocaria em uma nova dívida.


O ideal é que você estude bem suas possibilidades de pagamento e faça uma boa proposta para o banco ou empresa. É de interesse dos credores receber esse dinheiro, mesmo que seja a longo prazo. Afinal, é melhor receber algo do que continuar sem saber quando isso vai acontecer.


É comum que uma negociação te consiga boas condições de pagamento e mesmo um bom desconto. Existem opções de reparcelamento e repactuação — que é quando você solicita novas condições como a redução dos juros e isenção de multas de mora.


Além de reparcelar e pedir novas condições de pagamento, você pode mudar de credor. Isso pode ser vantajoso se seu banco pratica taxas de juro maiores que as dos demais. Esse processo é chamado de portabilidade de crédito.


Na hora de negociar, lembre-se sempre: só assuma um compromisso que você consiga arcar.


Corte gastos desnecessários


Essa parece óbvia, mas, para ser seguida na prática, ela precisa de dedicação. Nada de fazer novas compras no cartão de crédito que você já está devendo parcelas, por exemplo.


Além disso, pode ser preciso repensar alguns hábitos do cotidiano, como os gastos com restaurantes e delivery de comida, mensalidade de academia ou serviços de streaming. Em resumo:


  • Foque em não fazer novas dívidas e eliminar as despesas que puder

  • Tenha clareza de quais sacrifícios você vai precisar fazer e do que vai precisar abdicar

  • Seja fiel à estratégia que você traçou no início dessa jornada, quando fez o levantamento de suas dívidas.


Envolva sua família e divida os problemas


Quando você compartilha com seu marido ou esposa, seu filho ou outro parente próximo, essa pessoa pode te ajudar a se policiar e evitar novos gastos.


Às vezes, um membro do casal tem dívidas e o outro não. Nesses casos, quando um tem possibilidade de gastar e o outro não, os dois precisam entrar em um acordo sobre as despesas. O ideal é que um ajude o outro a se controlar, para que as dívidas sejam quitadas logo e o casal possa voltar a fazer seus planos em conjunto.


E, se a dívida for da família como um todo, é importante que todos se mobilizem para fazer valer essas dicas, reduzir os gastos e conduzir o orçamento familiar de volta à normalidade.


Procure por uma renda extra


Se seu orçamento já está estrangulado, é possível que você não consiga uma sobra para destinar ao pagamento das suas dívidas. Se esse for seu caso, você precisa de uma renda extra.


Existem várias formas de conseguir isso, e você pode escolher a que mais se adequar a seu perfil e suas possibilidades. Algumas ideias são vender objetos que você não usa mais; vender doces ou algum tipo de artesanato que você saiba fazer; ou então trabalhar como motorista de aplicativo nas horas vagas.


Ainda que você já tenha se planejado para destinar uma parte de sua renda mensal para as dívidas, conseguir uma renda extra pode acelerar ainda mais seu processo de se ver livre delas.


Estou livre das dívidas, e agora?


Agora, é fundamental que você não perca de vista o que te levou ao endividamento. Aproveite para criar o hábito de registrar seus gastos e controlar bem para onde vai seu dinheiro.


Para te ajudar nessa tarefa, você pode baixar nossa planilha de orçamento pessoal. Planilha Grátis: Baixe seu Orcamento Pessoal (mailchi.mp). Ela é gratuita e vai ajudar você a se manter no controle da sua vida financeira.


Agora se precisa de uma ajuda personalizada para sair dessa entre em contato conosco através do telefone (65)99993-0995 ou instagram @encheobolso.







Siga Enche o Bolso no Instagram!










Comments


bottom of page